sexta-feira, 12 de novembro de 2010

I Encontro sobre a linguagem da criança


O “I Encontro sobre a línguagem da criança – sentido, corpo e discurso” busca ocupar um espaço relevante e valioso no cenário dos estudos aquisicionistas, a saber, o do diálogo entre diferentes áreas, perspectivas teóricas e Instituições na análise do mesmo objeto de pesquisa: as produções infantis.

I Encontro sobre a linguagem da criança – sentido, corpo e discurso

Dias 01, 02 e 03 de dezembro de 2010

Local: UNIFESP - Guarulhos

Falar em Aquisição de Linguagem requer a constatação da multiplicidade de pontos de vista que cercam a área e estabelecem fronteiras entre a Linguística, a Psicologia Cognitiva, a Fonoaudiologia, a Educação. Buscar compreender a fala da criança a partir da imbricação dos múltiplos estudos que têm por objeto de trabalho a linguagem é buscar, portanto, compreender um pouco mais do complexo processo de instauração da criança na língua, sendo este o principal objetivo deste encontro.

Desse movimento e da heterogeneidade do percurso de cada criança, algumas questões parecem essenciais: Como enfrentar o mistério expresso através da heterogeneidade das produções infantis, suas indeterminações, seus fragmentos e as incorporações da fala do adulto? Que relação pode ter a língua que vem do outro com os enunciados tão singulares que se manifestam nas produções da criança? É possível projetar sobre essa produção infantil categorias gramaticais e funções da língua adulta? Que papel têm nesse processo o gesto, o olhar, o corpo, o contexto, o posicionamento coenunciativo dos interlocutores?

Depois da consolidação da Aquisição da Linguagem enquanto área dedicada ao estudo da fala da criança, o debate envolvendo questões metodológicas, dados e ética na pesquisa permanece em aberto. Algumas dessas questões, como as que tratam do corpus, têm sido amplamente discutidas, mas outras, como as ligadas ao pluralismo teórico e ética, raramente são explicitadas. Dessas questões decorre também uma outra discussão que parece em voga novamente: dados qualitativos ou quantitativos? Com a demanda de rigor científico e a área de Ciências Humanas sendo constantemente cobrada a partir de parâmetros eleitos pelas áreas Exatas e Biológicas, onde fica a singularidade dos dados de fala da criança, sobretudo se reconhecermos que as produções infantis, com seu caráter singular, ao constituírem o objeto de investigação do campo da Aquisição de Linguagem, implicam, por parte do pesquisador, um compromisso com as particularidades que a criança apresenta em relação ao falante de sua língua.

Diante de tais indagações, o programa de Pós-Graduação em Educação e Saúde na Infância e na Adolescência, em estreita parceria com a UNESP de Araraquara e a USP, convida pesquisadores de diferentes áreas e fundamentações teórico-metodológicas para dialogar questões referentes à aquisição de língua oral e escrita, ao bilinguismo e às representações da infância no discurso, discutindo a singularidade dos processos neles envolvidos.

Informações e Incrições: http://proex.epm.br/eventos10/linguagem/index.htm