sexta-feira, 12 de março de 2010

CURSOS - SOCIEDADE PESTALOZZI

Ressaltamos que a inscrição será efetivada após recebimento de comprovante de depósito.

1) CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM PSIQUIATRIA DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA
“Intervenções e possibilidades na área clínica e educacional”

Objetivo: fornecer informações sobre os quadros clínicos que favoreçam a
ampliação de conhecimentos e de possibilidades de intervenção no âmbito
clínico e/ou educacional de pessoas com quadros de natureza psiquiátrica.

Público: Profissionais da área da Saúde e da Educação

Datas: 22/05 a 26/06/2010 (sábados)

Carga Horária: 20 horas

Horário: 08h00 às 12h00

Formato: 05 encontros

Conteúdo Programático: Introdução à Psiquiatria da Infância e da
Adolescência; Transtorno Global do Desenvolvimento: Autismo/ Síndrome de
Asperger; Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade/Transtorno
Opositor Desafiante/Transtorno de Conduta; Transtorno Afetivo-bipolar;
Transtorno de Ansiedade: Transtorno Obsessivo-compulsivo; Síndrome do
Pânico; Fobias.


Docentes: Profissionais da Pestalozzi de São Paulo

Vagas limitadas (mínimo de 30 pessoas)
Obs.: Haverá envio de certificado de participação no evento

Investimento:

Profissionais = 3x de R$ 125,00, sendo depósitos para 15/03; 15/04 e 14/05

Alunos de graduação*, pós-graduação* e professores** = 3x de R$ 116, 00,
sendo depósitos para 15/03; 15/04 e 14/05

Grupos de 05 pessoas = 3x de R$ 116,00, sendo depósitos para 15/03; 15/04 e
14/05

* alunos regularmente matriculados em 2010 com comprovante

** professores da rede pública e privada



Dados bancários
Banco do Brasil - 001, Agência 0584-3, c/c 9900-7, Sociedade Pestalozzi de
São Paulo.
Enviar comprovante do depósito e de escolaridade/função até o dia
17/05/2010, com nome e telefone para o Fax: (11) 2905.3045/ 2905.3048 – A/C
Depto. de Cursos

Local de Realização e Informações:
Sociedade Pestalozzi de São Paulo
Av. Morvan Dias de Figueiredo, 2801 – Vila Guilherme - São Paulo
Fone: (11) 2905 3045 / 2905 3047 / 2905 3048 - Ramal 240
E-mail: cursos@pestalozzisp.org.br

2) 1º ENCONTRO DE FORMAÇÃO – ATENDIMENTO À DIVERSIDADE “Oficina do saber”

Objetivo: discutir aspectos relacionados ao processo de aprendizagem e
associá-los com estratégias e materiais de apoio à prática pedagógica que
favoreçam o desenvolvimento das habilidades dos alunos nas áreas diversas
áreas do conhecimento.

Público: Profissionais da área da Saúde e da Educação

Datas: 24/06/2010

Carga Horária: 02 horas

Horário: 18h00 às 20h00

Formato: 01 encontro

Conteúdo Programático: processo de aprendizagem, prática pedagógica,
estratégias e materiais de apoio.

Docentes: Profissionais da Pestalozzi de São Paulo

Vagas limitadas (mínimo de 30 pessoas)
Obs.: Haverá envio de certificado de participação no evento

Investimento:

Profissionais = R$ 40,00

Alunos de graduação*, pós-graduação* e professores** = R$ 35,00

Grupos de 05 pessoas = R$ 35,00

* alunos regularmente matriculados em 2010 com comprovante

** professores da rede pública e privada



Dados bancários
Banco do Brasil - 001, Agência 0584-3, c/c 9900-7, Sociedade Pestalozzi de
São Paulo.
Enviar comprovante do depósito e de escolaridade/função até o dia
21/06/2010, com nome e telefone para o Fax: (11) 2905.3045/ 2905.3048 – A/C
Depto. de Cursos

Local de Realização e Informações:
Sociedade Pestalozzi de São Paulo
Av. Morvan Dias de Figueiredo, 2801 – Vila Guilherme - São Paulo
Fone: (11) 2905 3045 / 2905 3047 / 2905 3048 - Ramal 240
E-mail: cursos@pestalozzisp.org.br

3)VIII ANO DE PALESTRAS NA ÁREA DA DEFICIÊNCIA INTELECTUAL “Atendimento à
diversidade – paradigma de suportes: do clínico ao educacional”

Objetivo: proporcionar informações e discussões sobre os aspectos voltados
ao diagnóstico e ao atendimento educacional especializado na área da
deficiência intelectual.

Público: Profissionais da área da Saúde e da Educação

Carga Horária: 16 horas

Horário: 08h00 às 17h00

Datas: 20 e 21/08/2010 (sexta e sábado)


Evento: gratuito

Conteúdo Programático Avaliação (diagnóstica: instrumentalização e
protocolos; pedagógica: processual e sondagem) e Atendimento Educacional
Especializado (aspectos legais, operacionais e de diretrizes do atendimento
educacional especializado)

Docentes: Profissionais da Pestalozzi de São Paulo

Vagas limitadas
Obs.: Haverá envio de certificado de participação no evento

Local de Realização e Informações:
Sociedade Pestalozzi de São Paulo
Av. Morvan Dias de Figueiredo, 2801 – Vila Guilherme - São Paulo
Fone: (11) 2905 3045 / 2905 3047 / 2905 3048 - Ramal 240
E-mail: cursos@pestalozzisp.org.br


4) CURSO DE ATUALIZAÇÃO NA ÁREA DA DEFICIÊNCIA INTELECTUAL “Do clínico ao
laboral”

Objetivo: oferecer informações sobre os aspectos do desenvolvimento,
escolarização, profissionalização e mercado de trabalho da pessoa com
deficiência intelectual.

Público: Profissionais da área da Saúde e da Educação

Datas: 11/09 a 16/10/2010 (sábado)

Carga Horária: 40 horas

Horário: 08h00 às 17h00

Formato: 05 encontros

Conteúdo Programático: Desenvolvimento Infantil e Intercorrências –
apresentação de casos; Avaliação Diagnóstica e Suportes – Equipe
Interdisciplinar; Atendimento Educacional do aluno com deficiência
intelectual - prática pedagógica e avaliação processual; Rede Social e de
Apoio; Empregabilidade

Docentes: Profissionais da Pestalozzi de São Paulo

Vagas limitadas (mínimo de 30 pessoas)
Obs.: Haverá envio de certificado de participação no evento

Investimento:

Profissionais = 3x de R$ 110,00, sendo depósitos para 20/07; 20/08 e 20/09

Alunos de graduação*, pós-graduação* e professores** = 3x de R$ 100, 00,
sendo depósitos para 20/07; 20/08 e 20/09

Grupos de 05 pessoas = 3x de R$ 100,00, sendo depósitos para 20/07; 20/08 e
20/09

* alunos regularmente matriculados em 2010 com comprovante

** professores da rede pública e privada


Dados bancários
Banco do Brasil - 001, Agência 0584-3, c/c 9900-7, Sociedade Pestalozzi de
São Paulo.
Enviar comprovante do depósito e de escolaridade/função até o dia
25/10/2010, com nome e telefone para o Fax: (11) 2905.3045/ 2905.3048 – A/C
Depto. de Cursos

Local de Realização e Informações:
Sociedade Pestalozzi de São Paulo
Av. Morvan Dias de Figueiredo, 2801 – Vila Guilherme - São Paulo
Fone: (11) 2905 3045 / 2905 3047 / 2905 3048 - Ramal 240
E-mail: cursos@pestalozzisp.org.br

5) 2º ENCONTRO DE FORMAÇÃO – ATENDIMENTO À DIVERSIDADE “Adequações
curriculares/avaliação processual”

Objetivo: discutir aspectos relacionados ao atendimento às especificidades
dos alunos com deficiência intelectual no que se refere às adequações
curriculares favorecedoras ao processo de aprendizagem.

Público: Profissionais da área da Saúde e da Educação

Datas: 25/11/2010

Carga Horária: 02 horas

Horário: 18h00 às 20h00

Formato: 01 encontro

Conteúdo Programático: processo de aprendizagem, prática pedagógica,
estratégias e materiais de apoio.

Docentes: Profissionais da Pestalozzi de São Paulo

Vagas limitadas (mínimo de 30 pessoas)
Obs.: Haverá envio de certificado de participação no evento

Investimento:

Profissionais = R$ 40,00

Alunos de graduação*, pós-graduação* e professores** = R$ 35,00

Grupos de 05 pessoas = R$ 35,00

* alunos regularmente matriculados em 2010 com comprovante

** professores da rede pública e privada


Dados bancários
Banco do Brasil - 001, Agência 0584-3, c/c 9900-7, Sociedade Pestalozzi de
São Paulo.
Enviar comprovante do depósito e de escolaridade/função até o dia
17/11/2010, com nome e telefone para o Fax: (11) 2905.3045/ 2905.3048 – A/C
Depto. de Cursos

Local de Realização e Informações:
Sociedade Pestalozzi de São Paulo
Av. Morvan Dias de Figueiredo, 2801 – Vila Guilherme - São Paulo
Fone: (11) 2905 3045 / 2905 3047 / 2905 3048 - Ramal 240
E-mail: cursos@pestalozzisp.org.br

terça-feira, 2 de março de 2010

O museu e a Inclusão sociocultural

Clique na imagem para ampliá-la.

Estresse no trabalho pode causar doença de voz em professor

Nilbberth Silva / Agência USP

Cerca de 60% dos professores da rede municipal da cidade de São Paulo têm distúrbios na voz — uma prevalência cinco vezes maior que no resto da população (1). De acordo com uma pesquisa da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, o estresse no trabalho está fortemente associado com essas doenças e elas aumentam de 6 a 9,5 vezes as chances de o professor tornar-se incapaz para o trabalho.

A fonoaudióloga Susana Giannini avaliou 167 professores de ensino infantil, fundamental e médio com distúrbios de voz na cidade de São Paulo. Ela comparou-os com 105 colegas saudáveis, provenientes das mesmas escolas. Depois, Susana analisou os grupos com duas escalas:uma media o nível de estresse no trabalho e outra, a capacidade para o trabalho.

A pesquisadora encontrou uma associação estatística entre ter distúrbios vocais e estresse provocado pela organização do trabalho — indício de que o estresse pode ser uma causa dos distúrbios vocais. O estresse era medido pelos níveis de excesso de trabalho e falta de autonomia sobre o trabalho dos professores.

Cerca de 70% daqueles que tinham problemas vocais apresentaram excesso de trabalho, mostrando que a pressão para realizá-lo era média ou alta. Já nos professores saudáveis a porcentagem era de 54,4%.

Os professores com distúrbios de voz também tiveram menor autonomia para realizar seu trabalho. Cerca de 73% dos professores com distúrbio de voz mostraram ter pouca ou média autonomia sobre o trabalho. Já nos professores sem alteração vocal, a porcentagem é de 62,1%.

“A condição de estresse é de alto desgaste”, explica Susana. Nesse nível, o professor perde a possibilidade de criar e intervir no trabalho. Ele tem muitas tarefas para desempenhar e não consegue criar soluções para os problemas que aparecem.

Incapacidade
A pesquisa analisou os professores com um índice que media a capacidade de um trabalhador desempenhar suas tarefas em função do seu estado de saúde, capacidades físicas e mentais, e exigências do trabalho. O resultado foi que professores com distúrbio vocal tem chances de 6 a 9,5 vezes maiores de não ter condições de executar o trabalho antes de chegar à aposentadoria.

“Com o adoecimento da voz, o professor se aposenta mais cedo ou precisa sair da sala de aula, vai pra secretaria fazer trabalho burocrático. É como se o distúrbio interrompesse sua carreira precocemente.. E isso reduz a satisfação com o trabalho”.

De acordo com a pesquisa, as novas políticas do governo para inclusão de alunos aumentaram a carga de trabalho dos professores, que passam a ter de ensinar alunos com níveis de conhecimento diferentes. As salas de aula também aumentaram de número e os estudantes passam mais tempo na escola. “No entanto, não aumenta a estrutura das escolas”, diz a pesquisadora. “O professor tem de dar conta sozinho de mais trabalho. Aumenta a pressão e o volume do trabalho, que vai invadindo o espaço familiar e social. O professor não dá conta de transmitir o conteúdo planejado”.

Na opinião de Suzana, o estudo pode ajudar a rever as regras da previdência social, que não reconhecem perda da voz do professor como doença relacionada ao trabalho. “A pesquisa levanta que o professor pode adoecer e ser incapacitado de trabalhar em sua função quando relaciona muito trabalho com pouca autonomia”, indica a fonoaudióloga. “Se for compreendido que isso é causado pelo trabalho, eu tenho que ter políticas públicas que reconheçam esse nexo causal. Se alguma lei compreender que o disturbio de voz está relacionado ao trabalho, o professor deixa de arcar sozinho com a doença que adquiriu”.

Mais informações: (11) 3397-7987, email \n ppgiannini@usp.br